Gol indenizará passageira por pânico e atraso em voo decorrentes de pane em avião

Data:

Gol pagará R$ 5 mil por danos morais.

pânico
Créditos: Matheus Obst | iStock

O juiz da 35ª vara Cível de Fortaleza/CE condenou a Gol a indenizar em R$ 5 mil, por danos morais, uma passageira, devido ao atraso de mais de 10 horas de um voo por causa de pane na aeronave.

A autora narrou que, após embarcar, foi informada que a aeronave tinha problemas técnicos. A aeronave foi ligada e desligada por diversas vezes durante duas horas, período em que os passageiros permaneceram no interior do avião, sem luz e sem ar-condicionado. Após a confirmação da decolagem, o avião entrou em movimento, mas sofreu outra pane, desligou-se e novamente ficaram sem luz, e os motores apagaram.

Ela narra que a situação deixou a todos em pânico, requerendo o desembarque. No entanto, membros da tripulação disseram que a companhia não se responsabilizaria pela remarcação do voo ou por prejuízos decorrentes do desembarque. Mesmo assim, ela, juntamente com sua família, retirou-se da aeronave e aguardou por outro voo durante mais de dez horas, até embarcar em outra aeronave.

A Gol se defendeu alegando que o atraso se deu pela necessidade de reparo não programado na aeronave.

O juiz considerou incontroverso o reparo da aeronave diante do problema técnico, mas entendeu que não se admite a alegação de atraso por força de manutenção não programada de aeronave, sendo evidente a falha na prestação de serviço por parte da empresa.

“É dever da ré garantir que suas aeronaves estejam em perfeitas condições para realizar as viagens agendadas. O problema técnico na aeronave que provoca o atraso da chegada ao destino faz com que o serviço de transporte aéreo se torne defeituoso, gerando direito à indenização aos consumidores lesados.” (Com informações do Migalhas.)

Processo: 0186132-72.2013.8.06.0001 - Sentença (disponível para download)

Juristas
Juristashttp://juristas.com.br
O Portal Juristas nasceu com o objetivo de integrar uma comunidade jurídica onde os internautas possam compartilhar suas informações, ideias e delegar cada vez mais seu aprendizado em nosso Portal.

Deixe um comentário

Compartilhe

Inscreva-se

Últimas

Recentes
Veja Mais

Modelo de recurso contra multa por não obedecer à sinalização de trânsito

Modelo para recurso contra multa por não obedecer à...

TJSP invalida venda de empresa por inclusão de crédito do qual não é titular

A 1ª Câmara Reservada de Direito Empresarial do Tribunal de Justiça de São Paulo, em julgamento estendido, declarou a invalidade da venda de uma empresa que incluía no preço final valores de precatórios dos quais não era titular, caracterizando uma operação de crédito a non domino.

Mantida multa de empresa que vendia produtos fora do prazo de validade

A 13ª Câmara de Direito Público do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJSP) confirmou a decisão da Vara de Viradouro, proferida pela juíza Débora Cristina Fernandes Ananias Alves Ferreira, que negou o pedido de anulação de uma multa aplicada pelo Procon a um estabelecimento comercial. O local foi multado em R$ 20,6 mil por vender produtos fora do prazo de validade.

Plano de saúde custeará exame genético para tratamento de síndrome

A 9ª Câmara de Direito Privado do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJSP) manteve a decisão da 10ª Vara Cível de Campinas, proferida pelo juiz André Pereira de Souza, que determinou que uma operadora de plano de saúde deve autorizar e custear a avaliação genética com pesquisa etiológica para um beneficiário portador da Síndrome de West.