Google é multado pelo TSE por descumprir decisão sobre anúncios de Lula e Bolsonaro

Data:

Google Adwords - Links Patrocinados
Créditos: bigtunaonline / Depositphotos

Por decisão do ministro Benedito Gonçalves, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o Google foi multado em R$ 60 mil por descumprir parcialmente uma determinação para que a empresa fornecesse informações sobre as propagandas realizadas pelas campanhas de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e Jair Bolsonaro (PL) por meio de links patrocinados. A decisão foi publicada na terça-feira (18).

O caso é um desdobramento de uma ação apresentada pela campanha de Bolsonaro contra Lula, ainda nas eleições do ano passado. O TSE intimou o Google em fevereiro deste ano a fornecer informações para subsidiar uma Aije (Ação de Investigação Judicial Eleitoral) movida pelo ex-presidente Jair Bolsonaro contra o presidente Lula, para averiguar o impulsionamento "irregular" de propaganda eleitoral do petista.

TSE
TSE - Tribunal Superior Eleitoral
Autor BrendaRochaBlossom _Depositphotos_477863100_S

A defesa do ex-presidente, acusa a coligação do petista por suposto abuso de poder econômico e uso indevido dos meios de comunicação e alega que a campanha de Lula teria pago R$ 90 mil para impulsionar links de propaganda eleitoral no Google Ads.

Gonçalves decidiu ampliar o pedido ao Google e incluiu no pedido "todas as informações" sobre as campanhas de ambos os presidenciáveis, o que foi contestado pelas defesas tanto de Bolsonaro quanto de Lula. Segundo o corregedor geral eleitoral, o Google respondeu apenas uma parte das solicitações e questionou a necessidade de resposta imediata do restante. Ele discordou de questionamento da empresa em relação ao prazo no qual as medidas deveriam ser cumpridas, já que a empresa não apresentou uma justificativa técnica para não atender à determinação no prazo.

"O questionamento é incompatível com a posição de destinatária de requisição judicial. Sem dúvida, cumpre a terceiro, desinteressado no processo, atender a determinações judiciais de forma objetiva, não lhe assistindo espaço para tecer considerações acerca de petições e requerimentos apresentados pelos litigantes. Assim, não assiste à Google Brasil Ltda., a pretexto de aguardar a análise dos embargos opostos pelas partes, a prerrogativa de suspender o cumprimento da diligência que lhe foi ordenada", afirmou o ministro.

Direito ao Esquecimento - Google
Créditos: PhotoMIX Company / Pexels

Gonçalves também negou recursos das duas campanhas que questionavam a determinação para que o Google fornecesse dados sobre "todas as campanhas publicitárias contratadas" pelos candidatos, fornecendo os respectivos dados quanto ao número de acessos.

Gonçalves também negou recursos das duas campanhas que questionavam a determinação para que o Google fornecesse dados sobre "todas as campanhas publicitárias contratadas" pelos candidatos, fornecendo os respectivos dados quanto ao número de acessos.

Com informações do UOL e G1.


Você sabia que o Portal Juristas está no FacebookTwitterInstagramTelegramWhatsAppGoogle News e Linkedin? Siga-nos por lá.

Ricardo Krusty
Ricardo Krusty
Comunicador social com formação em jornalismo e radialismo, pós-graduado em cinema pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN).

Deixe um comentário

Compartilhe

Inscreva-se

Últimas

Recentes
Veja Mais

5ª Edição do International Insolvency Law Conference: um encontro de destaques no campo jurídico internacional

Estão oficialmente abertas as inscrições para a 5ª Edição do International Insolvency Law Conference, um evento imperdível que reunirá profissionais e pesquisadores de destaque no campo da insolvência empresarial. Marcado para os dias 7 e 9 de março, este congresso promete ser um ponto de convergência para diálogos significativos e análises profundas sobre temas cruciais relacionados à recuperação judicial, recuperação extrajudicial e falência, tanto em âmbito nacional quanto internacional.

Dono de imóvel no RN será indenizado por concessionária de energia após danos causados em imóvel após troca de poste

A Companhia Energética do Rio Grande do Norte (Cosern) e uma empresa contratada por esta foram condenadas a indenizar um consumidor em R$ 25 mil por danos materiais causados durante a troca de postes no município de Caicó-RN. A decisão da 2ª Vara da comarca também determinou o pagamento de R$ 10 mil por danos morais ao proprietário do imóvel, com juros e correção monetária, pela concessionária de energia. Além disso, foi autorizado o levantamento de R$ 2.700,00 em aluguéis.

Procon-SP notifica Uber para explicar política de preços

O Procon-SP emitiu uma notificação nesta sexta-feira (23) para o aplicativo de transporte Uber, solicitando explicações sobre sua política de preços, conhecida como tarifa dinâmica. Nesse sistema, o valor das corridas pode variar com base na demanda, o que pode impactar especialmente em dias com problemas no transporte público, como interrupções no metrô.

UFSC não é responsável por furto de veículo em estacionamento público, decide justiça

A Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) não será obrigada a indenizar uma ex-funcionária do Hospital Universitário (HU) pelo furto de seu veículo em um estacionamento do campus aberto ao público. A decisão foi tomada pela 5ª Vara Federal de Blumenau, que considerou que, como o local do furto era de acesso público e gratuito, a universidade não tinha o dever de vigilância.