Justiça de São Paulo determina soltura de homem negro carregado amarrado por PMs

Data:

Justiça de São Paulo determina soltura de homem negro carregado amarrado por PMs | Juristas
Créditos: sakhorn/Shutterstock.com

A Justiça de São Paulo determinou a soltura do homem negro que teve mãos e pés amarrados por policiais militares (PMs) em junho deste ano, na Vila Mariana, zona sul de São Paulo.

Robson Rodrigo Francisco teve habeas corpus concedido pelo desembargador Sérgio Mazina Martins, da 12ª Câmara de Direito Criminal do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJSP) e será solto após a revogação da custódia cautelar, porém deve se manter longe dos envolvidos na ocorrência e não pode deixar a cidade sem aviso prévio a Justiça.

salvou pessoas
Créditos: JanJutamas | iStock

Ele havia sido preso por volta das 23h30, por roubar produtos em uma loja de conveniência da rede Oxxo, na zona sul de São Paulo junto a um amigo e um adolescente, conforme consta no boletim de ocorrência. Ele foi preso em flagrante após ser encontrado com duas caixas de bombons.

Após ser capturado pelos agentes, ele teve seus pés e mãos amarrados com cordas e foi carregado pelos PMs. A ação foi filmada por uma testemunha em uma Unidade de Pronto-Atendimento (UPA). De acordo com a PM, ele teria resistido à prisão e precisou ser dominado e amarrado por quatro policiais militares.

PMs acusados de execução no Butantã começam a ser julgados nesta segunda
Créditos: SkyCinema / Shutterstock.com

Robson vai passar por nova audiência no TJSP, nesta quinta-feira (27). Na decisão de soltura, a Justiça levou em consideração a tortura, segundo o advogado José Luiz de Oliveira Júnior, da Associação Nacional da Advocacia Negra.

“Óbvio que levaram isso em consideração e que, efetivamente, só existiu uma testemunha para o caso, que foi o funcionário do supermercado OXXO, que viu e fez questão de dizer que o furto ocorreu especificamente do Robson, de forma autônoma, afastando a qualificadora do furto em associação criminosa, bem como a corrupção de menores, cabendo tecnicamente a soltura”, disse o advogado José Luiz de Oliveira Júnior da Associação Nacional da Advocacia Negra.

Com informações do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJSP).


Você sabia que o Portal Juristas está no FacebookTwitterInstagramTelegramWhatsAppGoogle News e Linkedin? Siga-nos por lá.

Ricardo Krusty
Ricardo Krusty
Comunicador social com formação em jornalismo e radialismo, pós-graduado em cinema pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN).

Deixe um comentário

Compartilhe

Inscreva-se

Últimas

Recentes
Veja Mais

5ª Edição do International Insolvency Law Conference: um encontro de destaques no campo jurídico internacional

Estão oficialmente abertas as inscrições para a 5ª Edição do International Insolvency Law Conference, um evento imperdível que reunirá profissionais e pesquisadores de destaque no campo da insolvência empresarial. Marcado para os dias 7 e 9 de março, este congresso promete ser um ponto de convergência para diálogos significativos e análises profundas sobre temas cruciais relacionados à recuperação judicial, recuperação extrajudicial e falência, tanto em âmbito nacional quanto internacional.

Dono de imóvel no RN será indenizado por concessionária de energia após danos causados em imóvel após troca de poste

A Companhia Energética do Rio Grande do Norte (Cosern) e uma empresa contratada por esta foram condenadas a indenizar um consumidor em R$ 25 mil por danos materiais causados durante a troca de postes no município de Caicó-RN. A decisão da 2ª Vara da comarca também determinou o pagamento de R$ 10 mil por danos morais ao proprietário do imóvel, com juros e correção monetária, pela concessionária de energia. Além disso, foi autorizado o levantamento de R$ 2.700,00 em aluguéis.

Procon-SP notifica Uber para explicar política de preços

O Procon-SP emitiu uma notificação nesta sexta-feira (23) para o aplicativo de transporte Uber, solicitando explicações sobre sua política de preços, conhecida como tarifa dinâmica. Nesse sistema, o valor das corridas pode variar com base na demanda, o que pode impactar especialmente em dias com problemas no transporte público, como interrupções no metrô.

UFSC não é responsável por furto de veículo em estacionamento público, decide justiça

A Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) não será obrigada a indenizar uma ex-funcionária do Hospital Universitário (HU) pelo furto de seu veículo em um estacionamento do campus aberto ao público. A decisão foi tomada pela 5ª Vara Federal de Blumenau, que considerou que, como o local do furto era de acesso público e gratuito, a universidade não tinha o dever de vigilância.