Robôs de inteligência artificial melhoram experiências em museus

Data:

Robôs respondem aos visitantes dos museus.

museus
Créditos: Besjunior | iStock

Este ano, três museus do Smithsonian Institution, sediados em Washington, instalaram meia dúzia de robôs humanoides, apelidados de Pepper, para responder às perguntas dos visitantes e contar histórias, usando voz, gestos e uma tela de toque interativa. Eles também dançam, jogam e posam para selfies.

Rachel Goslins, diretora do Smithsonian's Arts and Industries Building e superintendente da implantação dos robôs, disse que ficou impressionada com as reações dos visitantes a eles.

Ela disse que Pepper “se sente totalmente alinhada com a missão dos museus. Estamos pedindo às pessoas que estejam presentes, engajadas e tenham uma experiência comunitária. Nós não estamos fazendo você olhar para o seu telefone ainda mais; estamos criando uma experiência humana divertida e alegre. Mais 80 robôs ainda serão lançados, ajudando a orientar o trabalho dos educadores e docentes do Smithsonian.

Os museus que usam Pepper são o Museu Nacional de História e Cultura Afro-Americana, o Museu Hirshhorn e o Jardim de Esculturas, e o Museu Nacional de Arte Africana, além do Castelo Smithsonian, que usa oito robôs, quatro dos quais podem viajar para outro lugar. O robô foi criado pela SoftBank Robotics.

O empreendimento Smithsoniano em inteligência artificial para envolver os visitantes é apenas um exemplo em uma tendência que se move rapidamente misturando arte e tecnologia.

Uso de AI em museus

A inteligência artificial está sendo cada vez mais utilizada por museus de todos os tamanhos em todo o mundo, que a utilizam para desenvolver desde robôs, chatbots e websites até ferramentas que os ajudam a analisar dados de visitantes e suas coleções, assim como determinar políticas de admissão e conteúdo de exposições.

Akon Art Museum

O Akron Art Museum está incentivando os visitantes a usar seus telefones para interagir com o Dot, seu guia de turismo digital. Introduzido em agosto, Dot é acessível pela plataforma Facebook Messenger.

Ela guia os visitantes a seis paradas no estilo “escolha a sua própria aventura” da coleção permanente do museu. Ela discute 60 obras de arte e faz perguntas aos visitantes. Em frente a um mural de Sol LeWitt, por exemplo, ela explica que o artista não pintou pessoalmente o mural, mas sim um desenhista. Ela chama esse processo de delegação e pergunta: "Que parte do seu trabalho você gostaria de poder designar para outra pessoa?"

Mark Masuoka, diretor do museu, chamou Dot de “uma ótima maneira de conectar pessoas com arte e entre si. E ela não exige conhecimento prévio da obra de arte”.

Museu do Amanhã, do Rio de Janeiro

O Museu do Amanhã no Rio de Janeiro colaborou com a IBM para desenvolver um chatbot IRIS + que usa a tecnologia de inteligência artificial Watson da IBM.

Ele foi lançado no ano passado. Na chegada, os visitantes recebem um cartão com chip para usar o IRIS +. Quando terminarem o passeio pela exposição principal, o IRIS + pergunta, através de um iPad: “Depois de tudo o que aprendeu na exposição principal, quais são as suas preocupações no mundo de hoje?”

Durante a conversa que se segue, o aplicativo troca dados com a nuvem da IBM e sugere iniciativas adequadas às preocupações dos visitantes, baseando-se, em parte, nas informações pessoais que os visitantes são convidados a fornecer, como data de nascimento e local de moradia.

Os visitantes também são incentivados a tirar uma selfie para uma parede no final da exposição principal. Este mural exibe as fotografias dos visitantes, juntamente com seus primeiros nomes e interesses pessoais; a parede também rastreia e exibe graficamente as principais preocupações de todos os visitantes.

Fundação Barnes

A Fundação Barnes usou inteligência artificial quando introduziu um novo site de coleções no ano passado. Emulando os critérios que o fundador do museu, Albert C. Barnes, usou para exibir sua coleção de arte em conjuntos, o novo site permite aos visitantes pesquisar a coleção por propriedades visuais, como luz, linha, cor e espaço, filtrando imagens de acordo com semelhanças estéticas.

Mais de 2.000 das cerca de 3.000 obras da coleção Barnes foram publicadas no site. O número de visitantes do site da Barnes triplicou desde que a nova coleção foi lançada.

O uso de inteligência artificial nos museus é vasto e eficiente. Ela contribui para analisar comentários ou comportamentos de visitantes, que ajudam a melhorar a distribuição de ingressos, o planejamento de exposições e de vendas das lojas, a conservação das obras e muitos mais. Além disso, permite a interação dos visitantes com figuras históricas, através de chatbots desenvolvidos com os números publicados. escritos e arquivos, bem como histórias orais. (Com informações do The New York Times.)

Juristas
Juristashttp://juristas.com.br
O Portal Juristas nasceu com o objetivo de integrar uma comunidade jurídica onde os internautas possam compartilhar suas informações, ideias e delegar cada vez mais seu aprendizado em nosso Portal.

Deixe um comentário

Compartilhe

Inscreva-se

Últimas

Recentes
Veja Mais

5ª Edição do International Insolvency Law Conference: um encontro de destaques no campo jurídico internacional

Estão oficialmente abertas as inscrições para a 5ª Edição do International Insolvency Law Conference, um evento imperdível que reunirá profissionais e pesquisadores de destaque no campo da insolvência empresarial. Marcado para os dias 7 e 9 de março, este congresso promete ser um ponto de convergência para diálogos significativos e análises profundas sobre temas cruciais relacionados à recuperação judicial, recuperação extrajudicial e falência, tanto em âmbito nacional quanto internacional.

Dono de imóvel no RN será indenizado por concessionária de energia após danos causados em imóvel após troca de poste

A Companhia Energética do Rio Grande do Norte (Cosern) e uma empresa contratada por esta foram condenadas a indenizar um consumidor em R$ 25 mil por danos materiais causados durante a troca de postes no município de Caicó-RN. A decisão da 2ª Vara da comarca também determinou o pagamento de R$ 10 mil por danos morais ao proprietário do imóvel, com juros e correção monetária, pela concessionária de energia. Além disso, foi autorizado o levantamento de R$ 2.700,00 em aluguéis.

Procon-SP notifica Uber para explicar política de preços

O Procon-SP emitiu uma notificação nesta sexta-feira (23) para o aplicativo de transporte Uber, solicitando explicações sobre sua política de preços, conhecida como tarifa dinâmica. Nesse sistema, o valor das corridas pode variar com base na demanda, o que pode impactar especialmente em dias com problemas no transporte público, como interrupções no metrô.

UFSC não é responsável por furto de veículo em estacionamento público, decide justiça

A Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) não será obrigada a indenizar uma ex-funcionária do Hospital Universitário (HU) pelo furto de seu veículo em um estacionamento do campus aberto ao público. A decisão foi tomada pela 5ª Vara Federal de Blumenau, que considerou que, como o local do furto era de acesso público e gratuito, a universidade não tinha o dever de vigilância.