TRF4 disponibiliza precatórios a partir de 3 de maio

Data:

precatórios
Créditos: stevanovicigor / Envato Elements

O TRF4 publicou em seu sítio virtual, que o pagamento dos precatórios de natureza comum do ano de 2018 (autuados entre 02/07/2016 e 01/07/2017), bem como os precatórios parcelados das propostas orçamentárias de 2009 a 2011, no valor de R$ 773.914.101,60, devidos pela União, suas autarquias e fundações estarão disponíveis para levantamento pelos beneficiários a partir do dia 03 de maio deste ano.

Os demonstrativos de pagamento concernentes aos processos judiciais eletrônicos que tramitam na Justiça Federal já foram juntados aos respectivos autos, enquanto que os relativos aos processos judiciais físicos, bem como daqueles que tramitam na Justiça Estadual em razão da competência delegada, já foram enviados às respectivas varas por meio eletrônico (SISCOM).

No que concerne aos precatórios comuns do ano de 2018, no estado do Paraná, serão disponibilizados 482 precatórios para 484 beneficiários, no valor total de R$ 186.174.820,48. Enquanto que no estado de Santa Catarina, 268 precatórios serão autorizados para 268 beneficiários, num total de R$ 99.262.447,53. Para o estado do Rio Grande do Sul, 868 precatórios serão autorizados para 868 beneficiários, num valor total de R$ 280.178.525,45.

Quanto aos precatórios parcelados, no estado do Paraná, serão disponibilizados 68 precatórios para 89 beneficiários, num valor de R$ 134.483.923,93. Já em Santa Catarina, 40 precatórios serão pagos a 45 beneficiários, totalizando o valor de R$ 14.662.260,81. Enquanto que no estado do Rio Grande do Sul, 82 precatórios serão autorizados para 88 beneficiários, num valor total de R$ 59.152.123,40.

Nos precatórios da proposta do ano de 2018 expedidos por varas federais e juizados especiais federais e sem determinação de bloqueio, não será obrigado o beneficiário pegar alvará de levantamento para efetuar o saque no banco, tendo em vista que o beneficiário precisará tão somente comparecer, a partir do dia 03 de maio de 2018, em qualquer* agência da Caixa Econômica Federal (CEF) ou Banco do Brasil (BB), de acordo com o caso. Será necessário apresentar o documento de identidade, o CPF, bem como o comprovante de endereço do beneficiário. Já na hipótese de ter havido bloqueio judicial, é necessária a liberação da conta de depósito pela a vara que expediu o precatório.

Já os precatórios parcelados das propostas de 2009 a 2011, bem como os expedidos por varas estaduais, dependem de alvará para levantamento dos valores, que deverá ser expedido pelo magistrado da vara estadual ou federal onde tramita o cumprimento de sentença. As referidas contas estarão liberadas para saque mediante apresentação do alvará do levantamento, também, a partir do dia 03/05/2018.

  • Para precatórios acima de R$ 100 mil, veja as instruções especiais para saque:
    Caixa Econômica Federal: pagamento de valores a partir de R$ 100 mil é efetuado apenas em unidades de relacionamento com o Poder Judiciário.

Banco do Brasil: relação de agências autorizadas clique aqui.

(Com informações do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4))

Juristas
Juristashttp://juristas.com.br
O Portal Juristas nasceu com o objetivo de integrar uma comunidade jurídica onde os internautas possam compartilhar suas informações, ideias e delegar cada vez mais seu aprendizado em nosso Portal.

Deixe um comentário

Compartilhe

Inscreva-se

Últimas

Recentes
Veja Mais

Modelo de contrato de prestação de serviços de Personal Trainer para Triatetlas

O presente contrato tem por objeto a prestação de serviços de personal trainer especializado em treinamento para triatletas, com o objetivo de melhorar o desempenho do Contratante nas modalidades de natação, ciclismo e corrida.

Empresa de fotos e vídeos condenada por falha em filmagem de casamento

A 13ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) confirmou a decisão da Comarca de Lavras que responsabilizou uma empresa de fotografia e vídeo a pagar R$ 10 mil por danos morais e R$ 1,4 mil por danos materiais a uma noiva, devido a falhas na filmagem de seu casamento.

Homem trans será indenizado por não ter nome social reconhecido em registro bancário

A 18ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) alterou uma decisão inicial e determinou que um banco indenize um homem trans em R$ 10 mil por danos morais devido ao não reconhecimento do seu nome social nos registros bancários.

Justiça condena hospital, plano de saúde e médico a indenizar paciente por erro em cirurgia

A 14ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) confirmou uma decisão da Comarca de Belo Horizonte que responsabiliza um hospital, um médico anestesista e um plano de saúde pelo pagamento de indenizações à uma paciente, totalizando R$ 200 mil, divididos igualmente entre danos morais e estéticos.