TST decide que inexiste vínculo de emprego entre voluntários da Copa e a Fifa

Data:

vínculo
Créditos: Reprodução

Apesar da finalidade lucrativa da Fifa descaracterizar o serviço voluntário, o TST entendeu que não existe vínculo de emprego entre os voluntários da Copa do Mundo de 2014 e seu Comitê Organizador, pelo fato de que as contratações foram autorizadas pela Lei 12.663/2012 (Lei Geral da Copa).

Com esse entendimento, a 7ª Turma do TST manteve a decisão que julgou improcedente pedido do Ministério Público do Trabalho de reconhecimento do vínculo e de indenização de R$ 20 milhões por dano moral coletivo.

O juízo da 59ª Vara do Trabalho do Rio de Janeiro e o TRT-1 julgaram improcedentes os pedidos do MPT por entenderem que o serviço voluntário previsto na Lei da Copa não se sujeita às limitações determinadas pela Lei 9.608/1998, e que ele viabiliza as competições. O tribunal ainda destacou que não havia todos os elementos característicos do vínculo de emprego, como a obrigação de comparecimento.

O MPT alegava que o COL é empresa limitada, privada e com finalidade lucrativa, e que não poderia usar trabalho voluntário, já que no Brasil ele só pode ser prestado a entidades públicas ou a instituições privadas sem fins lucrativos (artigo 1º da Lei 9.608/1998).

fifa
Créditos: JCamilo Bernal | iStock

O comitê se defendeu dizendo que as contratações se basearam no artigo 57 da Lei Geral da Copa, que prevê a possibilidade do serviço voluntário prestado por pessoa física, sem que isso gere vínculo de emprego ou obrigações trabalhistas e previdenciárias.

O STF julgou constitucional a Lei Geral da Copa, julgando válidas as concessões previstas no documento. O relator, ministro Ricardo Lewandowski, entendeu que os estímulos listados na lei foram legítimos para atrair o evento da Fifa. (Com informações do Consultor Jurídico.)

Processo AIRR-10704-52.2014.5.01.0059

Juristas
Juristashttp://juristas.com.br
O Portal Juristas nasceu com o objetivo de integrar uma comunidade jurídica onde os internautas possam compartilhar suas informações, ideias e delegar cada vez mais seu aprendizado em nosso Portal.

Deixe um comentário

Compartilhe

Inscreva-se

Últimas

Recentes
Veja Mais

Modelo de recurso contra multa por não obedecer à sinalização de trânsito

Modelo para recurso contra multa por não obedecer à...

TJSP invalida venda de empresa por inclusão de crédito do qual não é titular

A 1ª Câmara Reservada de Direito Empresarial do Tribunal de Justiça de São Paulo, em julgamento estendido, declarou a invalidade da venda de uma empresa que incluía no preço final valores de precatórios dos quais não era titular, caracterizando uma operação de crédito a non domino.

Mantida multa de empresa que vendia produtos fora do prazo de validade

A 13ª Câmara de Direito Público do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJSP) confirmou a decisão da Vara de Viradouro, proferida pela juíza Débora Cristina Fernandes Ananias Alves Ferreira, que negou o pedido de anulação de uma multa aplicada pelo Procon a um estabelecimento comercial. O local foi multado em R$ 20,6 mil por vender produtos fora do prazo de validade.

Plano de saúde custeará exame genético para tratamento de síndrome

A 9ª Câmara de Direito Privado do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJSP) manteve a decisão da 10ª Vara Cível de Campinas, proferida pelo juiz André Pereira de Souza, que determinou que uma operadora de plano de saúde deve autorizar e custear a avaliação genética com pesquisa etiológica para um beneficiário portador da Síndrome de West.