Agressividade durante separação justifica guarda unilateral de animal de estimação

99
TJ-GO concedeu guarda de buldogue a enfermeira após ameaças da ex-mulher Conduta agressiva durante processo de separação justifica guarda unilateral de animal de estimação. O entendimento é da 6ª Câmara Cível no Tribunal de Justiça do Estado de Goiás (TJ-GO). Créditos: Absolutimages Com a decisão liminar, uma enfermeira ganhou a guarda de uma buldogue de dois anos e oito meses adquirida durante o casamento com uma zootecnista. O casal ainda tinha um segundo cachorro, uma rottweiler. Na separação, as duas mulheres decidiram que cada uma ficaria com um dos bichos de estimação: a buldogue sob os cuidados da enfermeira e a rottweiler com a zootecnista. Entretanto a zootecnista doou a rottweiler sem consentimento. A enfermeira também teria recebido contatos da ex-mulher por telefone e redes sociais ameaçando tomar para si a posse da buldogue. Somados, o comportamento e o abandono pesaram na decisão da corte. Não há jurisprudência estabelecida para casos como esse, mas é comum que a justiça decida pela guarda partilhada dos bichos de estimação. O desembargador Fausto Moreira Diniz relatou o histórico da zootecnista para justificar a decisão. “A permanência da cadela Jade [buldogue], adquirida na constância da união estável, junto à autora, parece-me o mais adequado

Este conteúdo é restrito para usuários cadastrados do site e é GRÁTIS. Cadastre-se GRATUITAMENTE e tenha acesso já ao conteúdo. Se já for cadastrado, faça o login. Para novos usuários basta preencher o cadastro.

Login de usuários cadastrados