Dino mantém decisão da Justiça do Trabalho reconhecendo vínculo empregatício de corretor de imóveis

Data:

Dino mantém decisão da Justiça do Trabalho reconhecendo vínculo empregatício de corretor de imóveis | Juristas
STF realiza sessão solene de posse do novo ministro da Corte, Flávio Dino. Foto: Valter Campanato/Agência Brasil

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Flávio Dino, decidiu manter uma decisão da Justiça do Trabalho que reconheceu o vínculo empregatício de um corretor de imóveis. O pedido de revisão foi negado pelo ministro, que destacou que a reclamação constitucional não pode ser utilizada como instância recursal e que o acórdão do Tribunal Regional da 4ª Região (TRT4) não violou a jurisprudência do STF sobre a constitucionalidade das relações de trabalho.

Dino ressaltou que não é admissível utilizar a reclamação para garantir uma decisão de recurso extraordinário quando as instâncias ordinárias não foram esgotadas.

"A reclamação não pode ser admitida nesta Corte enquanto o recurso ainda estiver pendente de julgamento nas instâncias ordinárias. Mesmo que a decisão possa estar em desacordo com a tese estabelecida no Tema 725 de Repercussão Geral, é necessário esgotar as instâncias ordinárias", enfatizou o ministro.

Imóveis particulares podem sofrer usucapião
Créditos: oatawa / iStock

Além disso, Flávio Dino afirmou que a decisão do TRT4 foi fundamentada pelo Tribunal Superior do Trabalho (TST), que entendeu que a prestação de serviços firmada entre as partes caracterizava uma verdadeira relação empregatícia.

O vínculo empregatício foi reconhecido com base nos elementos caracterizadores da relação de emprego previstos na Consolidação das Leis do Trabalho (CLT). O juiz ressaltou a presença de subordinação, controle de horário do trabalhador, obrigatoriedade de comparecimento a reuniões e observância das determinações da empregadora.

"A decisão do TRT4 não precisa ser alterada, uma vez que o reconhecimento do vínculo empregatício não depende da licitude ou ilicitude da terceirização da atividade-fim, mas sim da verificação dos elementos que caracterizam a relação de emprego entre as partes", afirmou o ministro.

A ação foi movida pela LPS Consultoria Imobiliária por meio da Reclamação Constitucional 66182, com medida cautelar. A empresa alegou que o acórdão do TRT4 violou decisões do STF e argumentou que o trabalhador atuou apenas como estagiário em Técnico em Transações Imobiliárias, com inscrição no CRECI.

No entanto, o TRT4 considerou que a empresa não demonstrou que cumpriu os requisitos legais para validar o estágio, como a fiscalização efetiva e a entrega de relatórios.

O corretor, que trabalhou na empresa entre 2015 e 2019, teve o vínculo reconhecido pela Justiça do Trabalho em 1º e 2º grau. Na sentença de 1ª grau, a empresa foi condenada a pagar diversas verbas trabalhistas, incluindo reflexos de salário variável, aviso-prévio, férias, FGTS, multa CLT e horas extras.

Com informações do Portal Jota Info.


Você sabia que o Portal Juristas está no FacebookTwitterInstagramTelegramWhatsAppGoogle News e Linkedin? Siga-nos!

Notícias, modelos de petição e de documentos, artigos, colunas, entrevistas e muito mais: tenha tudo isso na palma da sua mão, entrando em nossa comunidade gratuita no WhatsApp.

Basta clicar aqui: https://bit.ly/zapjuristas

Ricardo Krusty
Ricardo Krusty
Comunicador social com formação em jornalismo e radialismo, pós-graduado em cinema pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN).

Deixe um comentário

Compartilhe

Inscreva-se

Últimas

Recentes
Veja Mais

A Influência da Identidade Visual na Força da Marca

A Influência da Identidade Visual na Força da Marca Definição...

Marcas Notoriamente Conhecidas: Proteção e Exemplos no Brasil

No mundo dos negócios, algumas marcas alcançam um nível de reconhecimento tão alto que se tornam notoriamente conhecidas. Essas marcas gozam de uma proteção especial, mesmo que não estejam registradas em todas as classes de produtos ou serviços. Este artigo aborda o conceito de marcas notoriamente conhecidas, a proteção legal conferida a elas no Brasil e exemplos de marcas que se enquadram nessa categoria.

Modelo de recurso contra multa por não obedecer à sinalização de trânsito

Modelo para recurso contra multa por não obedecer à...

TJSP invalida venda de empresa por inclusão de crédito do qual não é titular

A 1ª Câmara Reservada de Direito Empresarial do Tribunal de Justiça de São Paulo, em julgamento estendido, declarou a invalidade da venda de uma empresa que incluía no preço final valores de precatórios dos quais não era titular, caracterizando uma operação de crédito a non domino.