Justiça arbitra em R$25 mil indenização à vítima de ofensas raciais

Data:

Vítima de ofensas raciais será indenizada

Ofensas Raciais - Florianópolis - Santa Catarina
Créditos: atikinka2 / iStock

A vítima foi alvo de ofensas raciais depois de tentar evitar uma discussão, um homem será indenizado em R$25.000,00 (vinte e cinco mil reais) por determinação da Justiça na comarca de Florianópolis, no estado de Santa Catarina.

O fato ocorreu no ano de 2016, na sede balneária de uma associação no Norte da Ilha de Florianópolis. Em demanda judicial distribuída para a 6ª Vara Cível da comarca de Florianópolis, a vítima destaca que tentou acalmar os ânimos ao verificar um desentendimento entre 2 (dois) irmãos em uma área de confraternização da entidade. Ao se aproximar, entretanto, um dos envolvidos o ofendeu e tentou agredi-lo fisicamente.

Segundo os autos, o acusado começou a gritar "volta pra dentro, seu preto, preto fedido, preto vagabundo", destacando ainda que "odiava preto" e que o mataria. Naquele momento, o agressor sendo detido por policiais militares e terminou sendo conduzido para a delegacia. Mesmo citado, o agressor não apresentou contestação.

Na sentença, o juiz de direito Fernando de Castro Faria destacou que tanto a materialidade quanto a autoria do delito de injúria racial foram reconhecidas por meio de condenação já proferida em desfavor do demandado na seara penal - pena de um ano e dois meses de reclusão, além de um ano e três meses de detenção, em regime inicial aberto.

Desta forma, no caso em análise, restou fixar o valor da indenização, tendo em vista que o magistrado Fernando de Castro Faria afirmou que o abalo anímico decorrente da conduta do acusado é incontestável.

"Ademais, evidente o sofrimento e o dano psicológico daquele que se vê discriminado e ofendido por outro, mediante declarações depreciativas e preconceituosas. É inaceitável qualquer tipo de discriminação étnica ou racial, em notória afronta ao princípio da dignidade da pessoa humana, um dos fundamentos da República", anotou o juiz de direito.

Ofensas Raciais - Santa Catarina - Ilha de Florianópolis
Créditos: Zolnierek / iStock

O valor de R$ 25.000,00 (vinte e cinco mil reais), arbitrado a título de indenização por danos morais, levou em conta a conduta completamente reprovável do acusado e a necessidade de minimização dos prejuízos causados à vítima das ofensas raciais. Cabe recurso ao Tribunal de Justiça do Estado de Santa Catarina (TJSC).

Processo: 0302373-57.2016.8.24.0023 - Sentença (inteiro teor para download)

(Com informações do Tribunal de Justiça do Estado de Santa Catarina (TJSC)).

Teor do ato:

Ante o exposto, JULGO PROCEDENTE o pedido formulado por Antônio Marcos Cardoso em desfavor de José Geovani Chaves, extinguindo o feito com resolução do mérito, na forma do art. 487, I, do Código de Processo Civil, para CONDENAR o requerido ao pagamento de indenização por danos morais no valor de R$ 25.000,00 (vinte e cinco mil reais), acrescido dos encargos mencionados na fundamentação.

Condeno o requerido ao pagamento das custas processuais e honorários advocatícios, estes que arbitro em 10% (dez por cento) sobre o valor da condenação atualizado, nos moldes do art. 85, § 2º, CPC.

Publique-se.  Registre-se. Intimem-se.

Transitada em julgado, observado o procedimento das custas e nada requerido, arquivem-se.

José Geovani Chaves

Injúria Racial em Florianópolis
Créditos: Zolnierek / iStock
Juristas
Juristashttp://juristas.com.br
O Portal Juristas nasceu com o objetivo de integrar uma comunidade jurídica onde os internautas possam compartilhar suas informações, ideias e delegar cada vez mais seu aprendizado em nosso Portal.

10 COMENTÁRIOS

Deixe um comentário

Compartilhe

Inscreva-se

Últimas

Recentes
Veja Mais

TJSP mantém condenação de acusados que aplicavam golpe em locadora de veículos

A 7ª Câmara de Direito Criminal do Tribunal de Justiça de São Paulo confirmou a decisão da 13ª Vara Criminal da Capital, sob a juíza Erika Fernandes, que condenou três homens por associação criminosa, com um deles também condenado por estelionato, relacionado a um golpe praticado contra uma locadora de veículos. As penas impostas, variando entre um e dois anos de reclusão, foram convertidas em medidas alternativas, incluindo prestação pecuniária e serviços comunitários.

Tribunal nega devolução em dobro após depósito realizado por engano

A 2ª Vara Cível de Araraquara julgou um caso envolvendo a devolução de R$ 37 mil que foram depositados por engano em uma empresa após um contrato de securitização de ativos empresariais. Após o acordo, a empresa não mais gerenciava os ativos, mas recebeu indevidamente o depósito de uma devedora. A empresa devolveu o dinheiro 14 dias após o depósito, mas apenas depois que a ação foi ajuizada, o que levou a autora a pedir a devolução em dobro, alegando retenção indevida do montante.

Estado indenizará estudante trans depois de ofensas de professor

A Vara da Fazenda Pública de Guarujá condenou o Estado de São Paulo a pagar uma indenização por danos morais no valor de R$ 8 mil a uma estudante trans, devido a comentários ofensivos feitos por um professor sobre a comunidade LGBT em sala de aula. Além disso, foi estabelecido um pagamento de R$ 800 por danos materiais, referente aos custos com tratamento psicológico que a estudante teve após o incidente.

Ré é condenada por uso de embalagem similar ao da concorrente

A 5ª Vara Cível de Barueri condenou uma empresa do ramo alimentício por praticar concorrência desleal ao comercializar geleias em potes e embalagens muito parecidos com os de uma marca concorrente. A decisão judicial ordenou que a empresa ré cessasse o uso desses produtos e determinou o pagamento de uma indenização por danos materiais, cujo montante será definido na fase de liquidação do processo.