Ministério da Justiça questiona Facebook sobre vazamento de dados

Data:

Rede Social Facebook
Créditos: Wachiwit / iStock

A Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon), órgão do Ministério da Justiça e Segurança Pública, enviou notificação ao Facebook pedindo explicações, em até 15 dias, sobre o suposto vazamento de dados de 500 milhões de usuários, sendo destes, 8 milhões brasileiros. Os dados estariam sendo vendidos em fóruns da internet.

Segundo a Senacon, o objetivo é esclarecer quais dados pessoais foram compartilhados e quantos usuários teriam sido afetados no Brasil. A secretaria também pergunta quais medidas têm sido tomadas para melhorar a segurança na rede e amenizar os danos resultantes do problema. Questionam o que originou a suposta falha na rede social.

O Facebook disse que ainda foi formalmente notificado. A empresa diz que o problema de vazamento de dados teria sido resolvido em 2019, e que a base de dados oferecida é antiga. O Facebook afirma estar à disposição para colaborar com as autoridades competentes.

O vazamento foi noticiado em 3 de abril. Segundo reportagem do Bussiness Insider, cerca de 553 milhões de usuários da rede social tiveram seus dados pessoais vazados e estão expostos gratuitamente na internet em um fórum online. As informações, de cerca de de cerca de 8 milhões de brasileiros divulgadas, envolvem número de telefone, nome, local, nascimento e endereço de e-mail dos usuários da rede social.

Com informações da Folha.

 

 

Fique por dentro de tudo que acontece no mundo jurídico no Portal Juristas, siga nas redes sociais: FacebookTwitterInstagram e Linkedin. Adquira sua certificação digital e-CPF e e-CNPJ na com a Juristas Certificação Digital, entre em contato conosco por email ou pelo WhatsApp (83) 9 93826000

Ricardo Krusty
Ricardo Krusty
Comunicador social com formação em jornalismo e radialismo, pós-graduado em cinema pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN).

Deixe um comentário

Compartilhe

Inscreva-se

Últimas

Recentes
Veja Mais

Empresa condenada por uso indevido de marca registrada

A 1ª Câmara Reservada de Direito Empresarial do Tribunal de Justiça de São Paulo determinou que uma empresa cessasse a venda de roupas que utilizavam indevidamente uma marca registrada por outra empresa do mesmo segmento.

Modelo de contrato de prestação de serviços de Personal Trainer para Triatetlas

O presente contrato tem por objeto a prestação de serviços de personal trainer especializado em treinamento para triatletas, com o objetivo de melhorar o desempenho do Contratante nas modalidades de natação, ciclismo e corrida.

Empresa de fotos e vídeos condenada por falha em filmagem de casamento

A 13ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) confirmou a decisão da Comarca de Lavras que responsabilizou uma empresa de fotografia e vídeo a pagar R$ 10 mil por danos morais e R$ 1,4 mil por danos materiais a uma noiva, devido a falhas na filmagem de seu casamento.

Homem trans será indenizado por não ter nome social reconhecido em registro bancário

A 18ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) alterou uma decisão inicial e determinou que um banco indenize um homem trans em R$ 10 mil por danos morais devido ao não reconhecimento do seu nome social nos registros bancários.