Mais de 176 mil processos sobre racismo e intolerância religiosa foram registrados no Brasil em 2023

Data:

religião africana / intolerância religiosa
Créditos: Filipe Frazão | iStock

Segundo dados levantados pela startup JusRacial, os tribunais brasileiros enfrentaram um total de 176.055 processos judiciais relacionados a casos de racismo ou intolerância religiosa em 2023, evidenciando uma crescente preocupação com essas questões na sociedade.

Os tribunais dos 26 estados e do Distrito Federal concentraram 74.613 ações sobre racismo e intolerância religiosa no último ano. Nas instâncias superiores, o Superior Tribunal de Justiça (STJ) recebeu 4.292 casos, enquanto o Supremo Tribunal Federal (STF) registrou 1.907 processos. Esses números refletem a relevância desses temas em diferentes esferas judiciais.

O levantamento destaca a presença expressiva dessas práticas nos locais de trabalho, com mais de 64 mil processos em tramitação nos Tribunais Regionais do Trabalho e outros 11.147 no Tribunal Superior do Trabalho (TST). Isso ressalta a necessidade de atenção às questões raciais e religiosas no ambiente profissional.

racismo / injúria racial
Créditos: Ocus Focus | iStock

Comparando com o levantamento de 2009, que registrou 1.011 casos semelhantes, 2023 apresentou um aumento surpreendente de mais de 17.000% nos processos por racismo e intolerância. Hédio Silva Jr., fundador da JusRacial, destaca a inclusão da transfobia e homofobia como crimes de racismo, mas também ressalta o papel da conscientização das vítimas e o destaque crescente do tema na agenda pública.

Hédio Silva Jr., também coordenador do Instituto de Defesa dos Direitos das Religiões Afro-Brasileiras (Idafro), enfatiza que o aumento nos conflitos judiciais está relacionado à ampliação da consciência das vítimas e ao destaque significativo que essas questões ocupam na agenda pública. Ele destaca a contribuição da geração de jovens advogados negros formados por meio de ações afirmativas.

Usucapião
Créditos: IndypendenZ / iStock

O advogado relembra seu primeiro levantamento em 1997, quando identificou apenas nove casos de "preconceito racial" nos tribunais estaduais entre 1951 e 1988. Atualmente, a pesquisa do JusRacial extrai informações diretamente dos sites dos tribunais, refletindo um avanço significativo no acesso à informação.

Além do levantamento, a JusRacial busca fornecer suporte jurídico, jurisprudência e modelos de peças para advogados atuando na defesa judicial da igualdade racial e liberdade de crença, contribuindo não apenas para documentar, mas também para efetivamente transformar essas realidades por meio do sistema judiciário.

Com informações da Folha Press.


Você sabia que o Portal Juristas está no FacebookTwitterInstagramTelegramWhatsAppGoogle News e Linkedin? Siga-nos!

Ricardo Krusty
Ricardo Krusty
Comunicador social com formação em jornalismo e radialismo, pós-graduado em cinema pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN).

Deixe um comentário

Compartilhe

Inscreva-se

Últimas

Recentes
Veja Mais

A Influência da Identidade Visual na Força da Marca

A Influência da Identidade Visual na Força da Marca Definição...

Marcas Notoriamente Conhecidas: Proteção e Exemplos no Brasil

No mundo dos negócios, algumas marcas alcançam um nível de reconhecimento tão alto que se tornam notoriamente conhecidas. Essas marcas gozam de uma proteção especial, mesmo que não estejam registradas em todas as classes de produtos ou serviços. Este artigo aborda o conceito de marcas notoriamente conhecidas, a proteção legal conferida a elas no Brasil e exemplos de marcas que se enquadram nessa categoria.

Modelo de recurso contra multa por não obedecer à sinalização de trânsito

Modelo para recurso contra multa por não obedecer à...

TJSP invalida venda de empresa por inclusão de crédito do qual não é titular

A 1ª Câmara Reservada de Direito Empresarial do Tribunal de Justiça de São Paulo, em julgamento estendido, declarou a invalidade da venda de uma empresa que incluía no preço final valores de precatórios dos quais não era titular, caracterizando uma operação de crédito a non domino.