Pedido de anulação da condenação de Lula é negado

Data:

condenação de lula
Crédito: Rogério Cavalheiro / Shutterstock.com

Maria de Fátima Freitas Labarrère, vice-presidente do TRF-4, negou o recurso da defesa de Lula que solicitava a suspensão da condenação aplicada ao ex-presidente.

Os advogados questionaram a decisão da 8ª Turma do Tribunal, baseada na sentença de Sérgio Moro que condenou Lula pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro.

A defesa apontou diversas violações cometidas pelo juiz federal, especialmente a ausência de comprovada relação entre o favorecimento ilícito e os contratos com a Petrobras, a falta de competência para julgamento, a suspeição de Moro, a inobservância da ampla defesa, a atipicidade e erros na dosimetria da pena.

Para a desembargadora que negou o recursos, não há requisitos que autorizem o deferimento da medida.

Apesar de existir o periculum in mora diante da prisão do réu, não haveria probabilidade de acolhimento das teses levantadas pela defesa, nem possibilidade de admissibilidade dos recursos junto aos tribunais superiores. (Com informações do portal Conjur.)

Leia o processo: despacho da condenação de lula

Juristas
Juristashttp://juristas.com.br
O Portal Juristas nasceu com o objetivo de integrar uma comunidade jurídica onde os internautas possam compartilhar suas informações, ideias e delegar cada vez mais seu aprendizado em nosso Portal.

Deixe um comentário

Compartilhe

Inscreva-se

Últimas

Recentes
Veja Mais

Modelo de contrato de prestação de serviços de Personal Trainer para Triatetlas

O presente contrato tem por objeto a prestação de serviços de personal trainer especializado em treinamento para triatletas, com o objetivo de melhorar o desempenho do Contratante nas modalidades de natação, ciclismo e corrida.

Empresa de fotos e vídeos condenada por falha em filmagem de casamento

A 13ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) confirmou a decisão da Comarca de Lavras que responsabilizou uma empresa de fotografia e vídeo a pagar R$ 10 mil por danos morais e R$ 1,4 mil por danos materiais a uma noiva, devido a falhas na filmagem de seu casamento.

Homem trans será indenizado por não ter nome social reconhecido em registro bancário

A 18ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) alterou uma decisão inicial e determinou que um banco indenize um homem trans em R$ 10 mil por danos morais devido ao não reconhecimento do seu nome social nos registros bancários.

Justiça condena hospital, plano de saúde e médico a indenizar paciente por erro em cirurgia

A 14ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) confirmou uma decisão da Comarca de Belo Horizonte que responsabiliza um hospital, um médico anestesista e um plano de saúde pelo pagamento de indenizações à uma paciente, totalizando R$ 200 mil, divididos igualmente entre danos morais e estéticos.