STF rejeita denúncia por peculato contra ex-deputado federal Luiz Sérgio

Data:

Trancada ação penal de ex-dono do Hopi Hari por falta de nexo causal
Créditos: Filipe Frazao / Shutterstock.com

O Plenário do Supremo Tribunal Federal (STF) rejeitou, por unanimidade, uma denúncia por peculato apresentada pela Procuradoria-Geral da República (PGR) contra o ex-deputado federal Luiz Sérgio Nóbrega de Oliveira (PT-RJ) e a ex-secretária parlamentar Camila Loures Paschoal. O peculato, que consiste no desvio de bem público por funcionário público em benefício próprio ou de terceiros, não foi comprovado pela acusação, segundo entendimento unânime dos ministros.

A denúncia, protocolada em 2017 (Inquérito INQ 4529), alegava que o ex-deputado teria mantido Camila em cargo comissionado em seu escritório parlamentar, entre fevereiro de 2013 e março de 2015, enquanto ela recebia salário sem prestar os serviços correspondentes.

No voto, o relator, ministro Gilmar Mendes, reconheceu a competência do STF para julgar o caso, destacando que, embora Luiz Sérgio não ocupasse mais o cargo de parlamentar federal, o inquérito estava apto para análise. Mendes ressaltou a importância de se analisar a denúncia e as teses de defesa para evitar processos sem justa causa.

O ministro observou que a acusação não apresentou elementos mínimos de prova que indicassem o conhecimento do ex-deputado sobre a suposta irregularidade da secretária parlamentar. Além disso, um ex-secretário parlamentar do denunciado afirmou em depoimento que era responsável por atestar a frequência dos colaboradores do gabinete, incluindo a denunciada.

Mendes concluiu que, mesmo que Camila tenha recebido salário sem prestar os serviços correspondentes, não foi demonstrado como tais valores foram indevidamente desviados, uma vez que os salários foram pagos em decorrência de sua nomeação. Assim, para o ministro, a denúncia não configurou o crime de peculato, embora a conduta possa configurar ilícito administrativo ou civil.

A decisão foi tomada durante sessão virtual encerrada em 9 de fevereiro.

Com informações do Supremo Tribunal Federal (STF).


Você sabia que o Portal Juristas está no FacebookTwitterInstagramTelegramWhatsAppGoogle News e Linkedin? Siga-nos!

Ricardo Krusty
Ricardo Krusty
Comunicador social com formação em jornalismo e radialismo, pós-graduado em cinema pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN).

Deixe um comentário

Compartilhe

Inscreva-se

Últimas

Recentes
Veja Mais

Como Obter o Visto Gold em Portugal: Guia Completo para Investidores Estrangeiros

Visto Gold (Golden Visa) em Portugal O visto Gold (Golden...

Guia Completo para Obter um Visto de Trabalho em Portugal: Passo a Passo para Profissionais Internacionais

Mudar-se para Portugal é um sonho para muitos devido ao seu clima ameno, qualidade de vida elevada e rica cultura histórica. Para profissionais de fora da União Europeia, uma das vias principais para realizar esse sonho é através da obtenção de um visto de trabalho. Este guia abrangente fornece um passo a passo detalhado sobre como aplicar para um visto de trabalho em Portugal, incluindo dicas essenciais e requisitos legais.

Como funciona a obtenção de múltiplas cidadanias?

A obtenção de múltiplas cidadanias pode ocorrer de várias maneiras, dependendo das leis e regulamentos de cada país envolvido. Aqui está uma visão geral dos principais métodos pelos quais uma pessoa pode adquirir mais de uma cidadania:

Uma pessoa pode ter diversos passaportes e nacionalidades?

Sim, uma pessoa pode possuir diversos passaportes e nacionalidades, em um arranjo conhecido como dupla ou múltipla cidadania. Isso significa que ela é reconhecida como cidadã por mais de um país e pode usufruir dos direitos e benefícios associados a cada uma das suas nacionalidades.