Juiz de Goiás que informou recolhimento de urnas será investigado no CNJ

140

Juiz está afastado do cargo por tempo indeterminado.

urnas
Créditos: Geckophotos | iStock

O CNJ determinou a abertura de processo disciplinar contra o juiz federal Eduardo Luiz Rocha Cubas, de Goiás, por suspeita de violação dos deveres funcionais, e manteve o afastamento do magistrado do cargo por tempo indeterminado.

Cubas comunicou ao Comando do Exército determinaria o recolhimento de urnas eletrônicas antes das eleições para que elas fossem periciadas por militares.

O corregedor Nacional de Justiça, ministro Humberto Martins, votou pela investigação e disse que a postura de Cubas colocou a democracia em risco. Nas palavras de Martins, o juiz “usou do cargo de magistrado para tentar inviabilizar o processo democrático. Tivemos palavra do Exército, merece credibilidade”.

Da tribuna, Cubas se defendeu e deu alfinetadas em Martins, dizendo: “Não sou acusado de ser bandido de togas. Não estou sendo acusado de ser ladrão, mas de defender moralidade pública […] Não tenho filho recebendo milhões de reais”.

Ele fez referência indireta a uma suposta delação premiada na Lava Jato que atingiria integrantes do STJ e disse que o tribunal “encontra-se temeroso pelo que pode ser descoberto naquele órgão”. (Com informações do Jota.Info)

DEIXE UMA RESPOSTA