Classificar serviço de empresa como ‘lixo’ é direito de avaliação de consumidor

61
Créditos: Phoenixns | iStock A 5ª Câmara Cível do TJ-SC indeferiu o agravo de instrumento de uma empresa de transporte que tentava retirar, de uma plataforma da internet, um comentário crítico feito por um de seus clientes. A empresa ainda buscava indenização pelos supostos danos morais suportados, e disse que o teor da manifestação é difamatório e extrapola os limites da liberdade de expressão. Em linhas gerais, o cliente se expressou dizendo que a empresa não honra seus compromissos, possui dirigentes irresponsáveis e que não a recomendaria para quem deseja realizar uma boa viagem. E arremata: “considero a empresa o nível de categoria lixo”. No tribunal, o desembargador disse que, apesar de o texto conter informação contrária aos interesses da empresa, apenas traduz a opinião do cliente sobre sua experiência enquanto consumidor. Para o relator, “Conquanto a forma com que o recorrido tenha se manifestado não seja polida, esta denota manifestação crítica e opinativa que, em primeiro contato, não configura manifesta ilicitude capaz de conceder tutela inibitória antecipada para determinar a sua exclusão”. Ele lembrou ainda que a empresa não adotou a iniciativa de reportar o comentário como ofensivo e excluí-lo da página de avaliação. Agravo de Instrumento nº 4025958-47.2018.8.24.0000

Este conteúdo é restrito para usuários cadastrados do site e é GRÁTIS. Cadastre-se GRATUITAMENTE e tenha acesso já ao conteúdo. Se já for cadastrado, faça o login. Para novos usuários basta preencher o cadastro.

Login de usuários cadastrados