Justiça condena réus que humilharam homem embriagado e compartilharam imagens em redes sociais

Data:

Justiça condena réus que humilharam homem embriagado e compartilharam imagens em redes sociais | Juristas
Autor-maroti
Beer bottles on the conveyor belt, brewery

Dois homens foram condenados pela 2ª Turma Cível e Criminal do Tribunal de Justiça de São Paulo por praticarem o crime de injúria com vias de fato, após arremessarem água em um homem embriagado e compartilharem a filmagem em redes sociais.

A sentença condenou os réus a mais de um ano de serviços comunitários e prestação pecuniária no valor de dez salários mínimos, destinada a entidade social.

O crime ocorreu em 2020, na Comarca de Itu, quando um dos acusados jogou água em um homem caído na calçada próxima a uma drogaria onde ele trabalhava, enquanto o outro filmou a ação e compartilhou o vídeo nas redes sociais, causando danos à honra e reputação do ofendido. A autoria e materialidade do delito foram comprovadas através de boletim de ocorrência, filmagem amplamente divulgada e prova oral.

O relator do acórdão, juiz Alvaro Amorim Dourado Lavinsky, destacou que a conduta dos réus foi maldosa, ofendendo a honra subjetiva do ofendido, e aplicou a pena prevista no artigo 141, § 2º, do Código Penal, que prevê triplo da pena para crimes divulgados nas redes sociais da rede mundial de computadores. A decisão foi unânime e contou com a participação dos juízes Ana Cristina Paz Neri Vignola e Cassio Pereira Brisola.

Apelação nº 1006933-89.2020.8.26.0286.

Com informações do Tribunal de Justiça de São Paulo – TJSP.

Deixe um comentário

Compartilhe

Inscreva-se

Últimas

Recentes
Veja Mais

Empresa de fotos e vídeos condenada por falha em filmagem de casamento

A 13ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) confirmou a decisão da Comarca de Lavras que responsabilizou uma empresa de fotografia e vídeo a pagar R$ 10 mil por danos morais e R$ 1,4 mil por danos materiais a uma noiva, devido a falhas na filmagem de seu casamento.

Homem trans será indenizado por não ter nome social reconhecido em registro bancário

A 18ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) alterou uma decisão inicial e determinou que um banco indenize um homem trans em R$ 10 mil por danos morais devido ao não reconhecimento do seu nome social nos registros bancários.

Justiça condena hospital, plano de saúde e médico a indenizar paciente por erro em cirurgia

A 14ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) confirmou uma decisão da Comarca de Belo Horizonte que responsabiliza um hospital, um médico anestesista e um plano de saúde pelo pagamento de indenizações à uma paciente, totalizando R$ 200 mil, divididos igualmente entre danos morais e estéticos.

TJ mineiro mantém condenação de motorista que atropelou idoso

A 18ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) confirmou uma decisão da Comarca de Monte Belo, no Sul de Minas, condenando um motorista a pagar R$ 100 mil por danos morais à esposa de um idoso que faleceu em um acidente de trânsito.