Aplicativos móveis: o fim está próximo?

136

Há uma expectativa de que num futuro próximo, entre 2021 e 2028, a maioria dos aplicativos móveis desapareçam. Com eles, veremos a perda de bilhões no setor de startups móveis.

apps
Créditos: Ipopba | iStock

A visão inicial era que, um dia, qualquer organização ou pessoa física teria seu próprio aplicativo para dispositivos móveis para fins sociais ou de marketing. Ele seria espalhado pela Internet, como propriedades físicas em um mapa. Mas isso não aconteceu. E há vários motivos para isso.

O primeiro é que só podemos colocar cerca de 50 a 100 aplicativos em nossos telefones. Desses, menos de 30 são aqueles utilizados com freqüência. Muitos deles tornam seu telefone mais lento, ocupam espaço de memória, executam processos em segundo plano e verificam constantemente se há notificações por push mesmo quando não estão em uso.

O segundo ponto é que os aplicativos devem cumprir um propósito frequente e funcional, e não apenas fornecer informações.

Quando os smartphones apareceram pela primeira vez, grandes empresas correram para criar aplicativos. Então eles perceberam que era uma verdadeira dor de cabeça mantê-los. Toda vez que você atualiza informações em seu site ou promove um produto, você precisa fazer o mesmo em seu aplicativo. E toda vez que um fabricante de celulares atualiza seu sistema operacional, você precisa depurar seu aplicativo para garantir que ele continue funcionando.  Além disso, há o trabalho de gerenciar bugs em diferentes marcas, modelos e tamanhos de tela.

Outro ponto que deve ser considerado é a criação de um ecossistema. Um bom exemplo é como restaurantes e cafés estão se integrando em aplicativos de entrega de alimentos, em vez de manter seus próprios sistemas de pedidos e entregas on-line. Esse ponto é muito aplicado na China, na Indonésia e em outros países orientais, mas o ocidente ainda está atrasado.

Por fim, o último ponto é que até os aplicativos nativos bem-sucedidos deverão ser consolidados. Não importa quão maravilhosa seja uma nova ideia de aplicativo, ela custa cada vez mais publicidade e promoção antes de atingir uma massa crítica para gerar receita com eficácia.

Manter um aplicativo móvel exige tempo, esforço e dinheiro, especialmente quando sistemas operacionais como iOS e Android são atualizados com frequência. Você notou que, toda vez que atualiza o software em seu telefone, algo dá errado em um dos seus aplicativos? Os aplicativos nativos não são mais tão necessários quanto eram antes. A consolidação está chegando e a era do “há um aplicativo para isso” está chegando ao fim. (Com informações do Medium.)