Júri popular condena homem por roubo em agência dos correios de Novo Hamburgo

Data:

Júri popular condena homem por roubo em agência dos correios de Novo Hamburgo | Juristas
Shutterstock/Por Brian A Jackson

Um homem suspeito de assaltar uma agência dos Correios foi condenado, nesta segunda-feira (21/3), a 23 anos e quatro meses de prisão pelo Tribunal do Júri da Justiça Federal em Novo Hamburgo. O julgamento foi presidido pelo magistrado Eduardo Gomes Philippsen, que atua na 5ª Vara Federal do município.

O réu respondia pelo ataque ao estabelecimento, realizado junto de outros dois comparsas em abril do ano passado. Durante a ação, eles usaram clientes que estavam na agência como escudos humanos, roubaram o automóvel de uma das vítimas e chegaram a trocar tiros com a Brigada Militar durante a fuga. Dois dos assaltantes morreram no confronto.

Após mais de dez horas de instrução, o júri popular considerou o acusado culpado pelo assalto à agência, pelo roubo do veículo e pela tentativa de homicídio dos policiais. Esta foi a primeira vez que a nova sede da Subseção de Novo Hamburgo recebeu um Tribunal de Júri.

O condenado continua preso, mas pode recorrer junto ao TRF4.

Fonte: Justiça Federal do Rio Grande do Sul 

Deixe um comentário

Compartilhe

Inscreva-se

Últimas

Recentes
Veja Mais

Empresa de fotos e vídeos condenada por falha em filmagem de casamento

A 13ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) confirmou a decisão da Comarca de Lavras que responsabilizou uma empresa de fotografia e vídeo a pagar R$ 10 mil por danos morais e R$ 1,4 mil por danos materiais a uma noiva, devido a falhas na filmagem de seu casamento.

Homem trans será indenizado por não ter nome social reconhecido em registro bancário

A 18ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) alterou uma decisão inicial e determinou que um banco indenize um homem trans em R$ 10 mil por danos morais devido ao não reconhecimento do seu nome social nos registros bancários.

Justiça condena hospital, plano de saúde e médico a indenizar paciente por erro em cirurgia

A 14ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) confirmou uma decisão da Comarca de Belo Horizonte que responsabiliza um hospital, um médico anestesista e um plano de saúde pelo pagamento de indenizações à uma paciente, totalizando R$ 200 mil, divididos igualmente entre danos morais e estéticos.

TJ mineiro mantém condenação de motorista que atropelou idoso

A 18ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) confirmou uma decisão da Comarca de Monte Belo, no Sul de Minas, condenando um motorista a pagar R$ 100 mil por danos morais à esposa de um idoso que faleceu em um acidente de trânsito.