Celulares apreendidos em presídios são repaginados e doados a estudantes

Data:

Dados da memória do aparelho celular
Créditos: LumineImages / iStock

Por meio do projeto, Alquimia II, de iniciativa do Ministério Público do Rio Grande do Sul (MPRS) realizado em parceria com três universidades e alguns órgãos públicos, desde o ano passado, celulares apreendidos em revistas em presídios e em abordagem policiais passaram a ser consertados e doados a estudantes com dificuldades para acompanhar as aulas online em meio à pandemia de Covid-19. Só no ano passado foram doados 416 celulares, até então, os aparelhos ficavam em depósitos até serem triturados.

De acordo com o MP, em 2021, a promotoria já obteve 1.904 aparelhos, deste 256 já foram arrumados e configurados. Até o momento, 190 deles já estão com estudantes.

Antes de serem distribuídos, os aparelhos passam por duas "peneiras": os celulares com telas muito pequenas (abaixo de quatro polegadas fica difícil acompanhar as aulas) e muitos antigos, com sistema operacional inferior ao Android 5, são retirados da seleção.

De acordo com o promotor de justiça de Osório, Fernando Andrade Alves, com isso, apenas 20% dos celulares são aproveitados e conseguem chegar às mãos dos estudantes, "Dos 1.118 celulares que vieram de Rio Grande [no Sul do Estado] só conseguimos trabalhar com 290 e, nas universidades, só 40 vão dar para recuperar". Neste caso, o percentual de aproveitamento foi de 3,5%.

O projeto Projeto Alquimia II começou em 2020 em Osório e Maquiné e hoje tem abrangência estadual. A chefia do Ministério Público teve conhecimento da iniciativa e decidiu torná-la institucional, podendo ser replicada em outras promotorias gaúchas. A ampliação poderia, assim, ajudar a minimizar de evasão escolar. Houve redução de 6% no número de matriculados, na comparação entre 2020 e 2021, o que, "sinaliza cenário bastante preocupante de evasão", afirmou secretária estadual de educação, Raquel Figueiredo Alessandri Teixeira, durante o seminário "O RS pós pandemia", realizado em maio.

Com informações do UOL.


Fique por dentro de tudo que acontece no mundo jurídico no Portal Juristas, siga nas redes sociais: FacebookTwitterInstagram e Linkedin. Adquira sua certificação digital e-CPF e e-CNPJ na com a Juristas Certificação Digital, entre em contato conosco por email ou pelo WhatsApp (83) 9 93826000

Ricardo Krusty
Ricardo Krusty
Comunicador social com formação em jornalismo e radialismo, pós-graduado em cinema pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN).

Deixe um comentário

Compartilhe

Inscreva-se

Últimas

Recentes
Veja Mais

Modelo de recurso contra multa por não obedecer à sinalização de trânsito

Modelo para recurso contra multa por não obedecer à...

TJSP invalida venda de empresa por inclusão de crédito do qual não é titular

A 1ª Câmara Reservada de Direito Empresarial do Tribunal de Justiça de São Paulo, em julgamento estendido, declarou a invalidade da venda de uma empresa que incluía no preço final valores de precatórios dos quais não era titular, caracterizando uma operação de crédito a non domino.

Mantida multa de empresa que vendia produtos fora do prazo de validade

A 13ª Câmara de Direito Público do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJSP) confirmou a decisão da Vara de Viradouro, proferida pela juíza Débora Cristina Fernandes Ananias Alves Ferreira, que negou o pedido de anulação de uma multa aplicada pelo Procon a um estabelecimento comercial. O local foi multado em R$ 20,6 mil por vender produtos fora do prazo de validade.

Plano de saúde custeará exame genético para tratamento de síndrome

A 9ª Câmara de Direito Privado do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJSP) manteve a decisão da 10ª Vara Cível de Campinas, proferida pelo juiz André Pereira de Souza, que determinou que uma operadora de plano de saúde deve autorizar e custear a avaliação genética com pesquisa etiológica para um beneficiário portador da Síndrome de West.