AÇÃO INDENIZATÓRIA POR FURTO EM ESTABELECIMENTO PRIVADO

447
 

MODELO DE PETIÇÃO DE AÇÃO INDENIZATÓRIA POR FURTO EM ESTABELECIMENTO PRIVADO

 

 

 

 

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DE DIREITO DA COMARCA DE (NOME DA CIDADE) – (UF)

 

 

 

 

FULANO DE TAL, (DADOS/QUALIFICAÇÃO), portador da Carteira de Identidade/RG de nº 0000-000 inscrito no CPF/MF de nº 000.000.000-00, residente na (ENDEREÇO), por seu advogado devidamente constituído pelo instrumento de mandato anexo, vem, respeitosamente, à presença de Vossa Excelência, requerer a seguinte:

 

AÇÃO INDENIZATÓRIA POR FURTO EM ESTABELECIMENTO PRIVADO

 

Contra o Requerido FULANO DE TAL, pessoa jurídica de direito privado, situado na (ENDEREÇO COMPLETO), pelos motivos que passa a expor:

 

I. DOS FATOS

 

O Requerente esteve no (NOME DO ESTABELECIMENTO) das XX às XX hs do dia XX de XX de XXXX a passeio, como era de costume fazer juntamente com sua família.

Como também já costumeiro, o Requerente deixou seu veículo no estacionamento da Requerida, cujo local é pago por tempo de permanência.

A Requerida em seus materiais publicitários sempre exaltou a segurança do local como um dos seus atributos, justificando assim o aumento corriqueiro no preço de seu estacionamento.

Contudo, no dia acima referido, o Requerente teve seus objetos pessoais, os quais estavam no interior no veículo, furtados dentro do estacionamento da Requerida.

Os objetos furtados foram (DESCRIÇÃO DOS OBJETOS).

Ao contatar o furto, o Requerente começou então a contatar os responsáveis que poderiam prestar apoio e conduzi-lo a resolução do problema.

O Gerente de segurança da Requerida ao chegar no local recomendou ao Requerente a prestação do Boletim de Ocorrência para que, a partir disso, a Requerida pudesse tomar as devidas providências.

No entanto, passando-se mais de XX (DIAS OU MESES), não houve qualquer retorno por parte da Requerida.

Sendo todas as alternativas infrutíferas, não resta ao Requerente outra medida a não ser a propositura da presente ação.

 

II. DOS DIREITOS

 

Em face dos danos que se sucederam, pretende o Requerente haver da Requerida a reparação total, razão pela qual busca, por meio da presente demanda, a prestação jurisdicional respectiva.

Quanto à lei, doutrina e à jurisprudência não resta qualquer dúvida de que os danos deverão ser suportados pela Requerida.

Conforme o amparo legal no qual é baseado no Código Civil, que dispões o seguinte:

 

Artigo 927 do Código Civil:

Aquele que, por ato ilícito, causar dano a outrem, fica obrigado a repará-lo.

Parágrafo único: Haverá a obrigação de reparar o dano, independentemente de culpa, nos casos especificados em lei, ou quando a atividade normalmente desenvolvida pelo autor do dano implicar, por sua natureza, risco para os direitos de outrem.

Assim como determina o Código de Defesa do Consumidor:

‘Art. 14 do Código de Defesa do Consumidor: O fornecedor de serviços, responde, independentemente da existência de culpa, pela reparação dos danos causados aos consumidores por defeitos relativos à prestação de serviços, bem como por informações insuficientes ou inadequadas sobre sua fruição e riscos.  

Demonstrado está que a Requerida tem o dever de guarda, pois a mesmo cria, para o usuário, uma legítima expectativa quanto à proteção, à segurança proporcionada ao veículo ali deixado, além de beneficiar-se pelo atrativo que o estacionamento exerce sobre os clientes, sempre exaltados em suas propagandas, como dito anteriormente.

 

III. DOS PEDIDOS E DOS REQUERIMENTOS

 

Por fim, mediante aos fatos aqui expostos, requer-se:

a) a citação da Requerida para que compareça à Audiência de Conciliação, sob pena de revelia e consequente condenação;

b) pede e espera, ainda, seja processada e julgada procedente a presente ação, condenando a Requerida à indenização por danos patrimoniais no importe de R$ 0.000,00. (VALOR).

 

Assim, protesta provar o alegado por todos os meios de prova em direito admitidas, ainda que não especificadas neste documento.

 

Atribui-se à causa o valor R$ XXX.XXX,XX (VALOR), para fins de alçada, nos moldes do art. 292, III do NCPC/2015.

 

Nestes Termos. Pede e espera Deferimento.

 

(CIDADE), (DATA) de (MÊS) de (ANO).

 

(NOME DO ADVOGADO)

Advogado – OAB/UF: 0000