Goinfra é responsabilizada por acidente fatal ocorrido por falta de sinalização

Data:

Goinfra indenizará mãe que perdeu a filha em acidente automobilístico fatal

Acidente Automobilístico - GoinfraA Agência Goiana de Transportes e Obras (Agetop), atualmente denominada de Agência Goiana de Infraestrutura e Transportes (Goinfra), foi condenada, pelo magistrado Giuliano Morais Alberici, da Comarca de Nova Crixás, no estado de Goiás, a pagar uma indenização a título de danos morais, fixados em R$ 50.000,00 (cinquenta mil reais), para uma mulher que perdeu a filha, vítima de um acidente automobilístico no entrocamento da GO-164 com a GO-236, próximo ao Distrito de São José dos Bandeirantes.

A vítima dirigia um veículo que colidiu frontalmente com um ônibus e, de acordo com a perícia, o acidente ocorreu por decorrência da falta de sinalização do trevo.

Para fundamentar a sentença, o juiz destacou o Código de Trânsito Brasileiro (CTB), que trata da sinalização adequada nas vias dos trechos em obras, em seu artigo 88. Consoante com a normativa, nenhuma via pavimentada poderá ser aberta ao trânsito enquanto não estiver devidamente sinalizada, vertical e horizontalmente, de forma a garantir as condições adequadas de segurança na circulação.

“A inobservância desses deveres foi provada por meio da constatação de que o local onde ocorreu o sinistro não estava sinalizado adequadamente, com ausência de sinalização vertical e horizontal para indicar o trevo”, destacou o juiz de direito Giuliano Morais Alberici.

Ainda com base no laudo pericial, além da falta de sinalização no trevo, o canteiro lateral do mesmo estava fora de alinhamento para com a rodovia GO-236 e os vãos da faixa dupla estavam, também, em lugares equivocados.

Assim afirma o magistrado em sua sentença:

“Evidencia-se que a causa determinante do acidente foi a ausência de sinalização eficiente e adequada da rodovia, alertando os motoristas da existência de trevo no local, o que caracteriza falta do serviço e que impõe a responsabilidade das requeridas, decorrente da culpa por omissão”.

Além da reparação a título de danos morais, a parte demandante receberá uma pensão mensal, tendo em vista que a vítima contribuía com a renda da família, de baixa renda e moradora da zona rural.

Instituto Brasileiro de  Geografia e Estatística (IBGE)A genitora receberá 2/3 (dois terços) do valor do salário-mínimo até a idade em que a filha completaria 25 (vinte e cinco) anos, para em seguida, receber 1/3 (um terço), até o momento em que a vítima completasse 74 (setenta e quatro) anos, equivalente à expectativa de vida da mulher brasileira segundo o Instituto Brasileiro de  Geografia e Estatística (IBGE).

Clique aqui para efetuar o dowload do inteiro teor da sentença.

(Com informações de Lilian Cury do Centro de Comunicação Social do TJGO)

Clique aqui e conheça agora mesmo o Portal de Assinaturas Juristas Signer.

Acidente - Trevo - Goinfra - Falta de Sinalização
Créditos: Zolnierek / iStock.com
Juristas
Juristashttp://juristas.com.br
O Portal Juristas nasceu com o objetivo de integrar uma comunidade jurídica onde os internautas possam compartilhar suas informações, ideias e delegar cada vez mais seu aprendizado em nosso Portal.

11 COMENTÁRIOS

Deixe um comentário

Compartilhe

Inscreva-se

Últimas

Recentes
Veja Mais

5ª Edição do International Insolvency Law Conference: um encontro de destaques no campo jurídico internacional

Estão oficialmente abertas as inscrições para a 5ª Edição do International Insolvency Law Conference, um evento imperdível que reunirá profissionais e pesquisadores de destaque no campo da insolvência empresarial. Marcado para os dias 7 e 9 de março, este congresso promete ser um ponto de convergência para diálogos significativos e análises profundas sobre temas cruciais relacionados à recuperação judicial, recuperação extrajudicial e falência, tanto em âmbito nacional quanto internacional.

Dono de imóvel no RN será indenizado por concessionária de energia após danos causados em imóvel após troca de poste

A Companhia Energética do Rio Grande do Norte (Cosern) e uma empresa contratada por esta foram condenadas a indenizar um consumidor em R$ 25 mil por danos materiais causados durante a troca de postes no município de Caicó-RN. A decisão da 2ª Vara da comarca também determinou o pagamento de R$ 10 mil por danos morais ao proprietário do imóvel, com juros e correção monetária, pela concessionária de energia. Além disso, foi autorizado o levantamento de R$ 2.700,00 em aluguéis.

Procon-SP notifica Uber para explicar política de preços

O Procon-SP emitiu uma notificação nesta sexta-feira (23) para o aplicativo de transporte Uber, solicitando explicações sobre sua política de preços, conhecida como tarifa dinâmica. Nesse sistema, o valor das corridas pode variar com base na demanda, o que pode impactar especialmente em dias com problemas no transporte público, como interrupções no metrô.

UFSC não é responsável por furto de veículo em estacionamento público, decide justiça

A Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) não será obrigada a indenizar uma ex-funcionária do Hospital Universitário (HU) pelo furto de seu veículo em um estacionamento do campus aberto ao público. A decisão foi tomada pela 5ª Vara Federal de Blumenau, que considerou que, como o local do furto era de acesso público e gratuito, a universidade não tinha o dever de vigilância.