Senado retira o Coaf do Ministério da Justiça

Data:

Antes, MP da reestruturação ministerial sofreu modificações na Câmara dos Deputados

O Senado aprovou nesta terça-feira (28/5) o texto-base na Medida Provisória 870/19, que reorganizou a administração do Poder Executivo. O texto aprovado contém alterações feitas na Câmara dos Deputados, que negou a transferência do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) do Ministério da Justiça e Segurança Pública para o Ministério da Economia, como editado inicialmente.

Senado retira o Coaf do Ministério da Justiça | Juristas
Créditos: R.M. Nunes / Shutterstock.com

A MP foi a primeira medida assinada pelo governo Jair Bolsonaro e reduziu de 29 para 22 o número de ministérios.

O texto aprovado por 70 votos a 4 foi Projeto de Lei de Conversão (PLV) 10/19. A matéria agora segue para sanção presidencial.

Saiba mais:

Pelo texto aprovado, têm status de ministério a Advocacia-Geral da União (AGU), a presidência do Banco Central e quatro pastas ligadas ao Planalto (Casa Civil, Secretaria de Governo, Secretaria-Geral e Gabinete de Segurança Institucional). Já a Controladoria-Geral da União (CGU) ficará a cargo da Secretaria de Controle Interno da Secretaria-Geral da Presidência da República.

Apesar das alterações em órgãos do Ministério da Economia e sobre a política indígena, que volta para o Ministério da Justiça e Segurança Pública, o governo obteve vitórias na reorganização da política ambiental.

Ministério da Economia

Além de permanecer com o Coaf, o recém-criado Ministério da Economia também acumula as atribuições dos ministérios da Fazenda, do Planejamento, do Trabalho, que foram extintos, e as atividades da Previdência Social.

Conforme o PLV, o ministério também assumiu competências sobre registro sindical, política de imigração laboral e cooperativismo e associativismo urbano. Mas perde para o Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) a atribuição de definir políticas de desenvolvimento da indústria, comércio e serviços.

Indígenas

Apesar da derrota em relação ao Coaf, o Ministério da Justiça e Segurança Pública volta a ter o controle do Conselho Nacional de Política Indigenista. Inicialmente a MP previa que a pasta fosse responsabilidade do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos. O mesmo ocorre com a Fundação Nacional do Índio (Funai).

Agricultura e Meio Ambiente

Pela MP, o Ministério do Meio Ambiente (MMA) cede ao Ministério da Agricultura a gestão do Serviço Florestal Brasileiro (Lei 11.284/06). O PLV também retira do MMA o Ministério a Agência nacional de Águas (ANA) e o Conselho Nacional de Recursos Hídricos (CNRH), que vão para o Ministério do Desenvolvimento Regional.

Clique aqui para ler a Medida Provisória

Clique aqui para ler o Projeto de Lei de Conversão

Notícia produzida com informações da Agência Senado.

Caio Proença
Caio Proença
Jornalista pela Cásper Líbero. Trabalhou em O Diário do Pará, R7.com, Estadão/AE e Portal Brasil.

Deixe um comentário

Compartilhe

Inscreva-se

Últimas

Recentes
Veja Mais

Arquiteta é condenada por não concluir reforma em apartamento de cliente

A 3ª Vara Cível da Comarca de Natal, no Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte (TJRN), proferiu sentença condenando uma arquiteta, prestadora de serviços de reforma em imóveis, ao pagamento de indenização por danos materiais de R$ 74.805,00, acrescidos de multa contratual estipulada em R$ 22 mil, em razão da não conclusão, no prazo acordado, da obra em um apartamento de um cliente. Além disso, a profissional foi condenada a pagar uma indenização por danos morais em favor do autor no valor de R$ 10 mil.

A primeira turma do STF decide tornar réus sete integrantes da antiga cúpula da PMDF por omissão em atos antidemocráticos

A Primeira Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) formou maioria para tornar réus sete integrantes da antiga cúpula da Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF), todos suspeitos de omissão durante os atos antidemocráticos de 8 de janeiro de 2023, quando as sedes dos Três Poderes foram invadidas e depredadas. A sessão de julgamento, que é virtual, está prevista para durar até 20 de fevereiro. Os ministros Cristiano Zanin e Cármen Lúcia seguiram o voto do relator, Alexandre de Moraes. Falta o voto do ministro Luiz Fux.

STF inspaciona desintrusão da Terra Indígena Trincheira-Bacajá (PA)

Uma missão oficial liderada pelo Supremo Tribunal Federal (STF), com representantes do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e da Presidência da República, esteve em operação no último dia 4 para inspecionar o progresso da desintrusão da Terra Indígena (TI) Trincheira-Bacajá, localizada no estado do Pará (PA). Durante a visita, foram realizados sobrevôos em áreas-chave da reserva e reuniões com líderes indígenas do povo Xikrin.

Dupla é condenada por saída do país com dinheiro não declarado à Receita Federal

A 7ª Vara Federal de Porto Alegre emitiu sentença, no dia 6 de fevereiro, condenando dois indivíduos pelo crime de evasão de divisas. Ambos foram flagrados transportando dinheiro em espécie para fora do país sem declará-lo à Receita Federal.