Cinco motivos para usar assinatura digital em contratos

198
5 motivos para usar assinatura digital em contratos Créditos: metamorworks / iStock Em sua obra jurídica O Contrato, o jurista italiano Enzo Roppo descreve contratos como documentos que operacionalizam a circulação de riquezas, logo são quase sinônimos de operação econômica, no entanto, com uma acepção mais ampla. A definição de contrato remonta ao período clássico romano (direito romano). De lá para cá, muita coisa evoluiu. O contrato moderno constitui em um acordo entre partes que, por meio de sua manifestação externa, já inicia a gerar consequências jurídicas, enquanto que no direito romano considerava como vinculante tão somente os acordos que fossem dotados de causa civilis — ou seja, um fundamento jurídico. A causa civilis eleva, portanto, o ato jurídico bilateral comum, como os pactos, a um contractus, disponibilizando às partes a actio correspondente. Nos dias atuais, requer-se muito mais agilidade e segurança para estes tipos de documentos, e uma forma fácil de alcançar estes e outros objetivos é com a adoção da assinatura digital em contratos eletrônicos. Por meio da tecnologia denominada de certificação digital, é possível firmar documentos importantes de forma ainda mais segura do que o modo manuscrito com caneta, por exemplo. Cada assinatura digital está associada a um certificado digital válido e contém dados do assinante

Este conteúdo é restrito para usuários cadastrados do site e é GRÁTIS. Cadastre-se GRATUITAMENTE e tenha acesso já ao conteúdo. Se já for cadastrado, faça o login. Para novos usuários basta preencher o cadastro.

Login de usuários cadastrados