Indenização é devida se plano de saúde negar internação emergencial

205

Operadora tem obrigação de cobrir internação quando se fizer necessária, diz TJ-AM

A indenização é devida se o plano de saúde negar internação de emergência. Isso porque o plano tem obrigação de cobrir a internação. O entendimento é da 2ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJ-AM).

Estado do Piauí é responsável por morte de menor em centro de internação
shutterstock_589302497

Com a decisão, a autora da ação receberá quase R$ 15 mil como reparação. A cliente foi submetida a exames clínicos e ambulatoriais em hospital credenciado pelo plano.

Apesar de apresentar insuficiência cardíaca e dificuldade respiratória, ela recebeu alta e foi orientada a procurar um médico especialista – o plano alegou período de carência.

Tão logo o quadro se agravou, a mulher deu entrada na emergência de hospital particular e foi encaminhada para UTI.

Saiba mais:

“A operadora tem a obrigação de cobrir a internação que se fizer necessária após o atendimento inicial de uma situação de emergência ou urgência”, relatou na decisão a desembargadora Maria do Perpétuo Socorro Guedes Moura.

A magistrada julgou procedente indenização por danos materiais no valor de R$ 4.156,95 e de danos morais em R$ 10 mil pela “frustração e ansiedade geradas” em situação de vulnerabilidade.

Apelação 0611856-62.2016.8.04.0001

Notícia produzida com informações da assessoria de imprensa do TJ-AM.

DEIXE UMA RESPOSTA