Professor é condenado por maus-tratos contra aluno

Data:

Criança de 5 anos de idade foi suspensa pelo pescoço porque "não parava quieta

Ação Ambiental - Faxinal dos Guedes
Créditos: Nicola Forenza / iStock

Um professor denunciado pelo Ministério Público de Santa Catarina (MPSC) por maus-tratos contra uma criança de 5 anos de idade foi condenado na Comarca de Araquari, em Santa Catarina.

Segundo a denúncia apresentada pelo Promotor de Justiça da Comarca de Araquari, Leandro Garcia Machado, o professor suspendeu a criança pelo pescoço, ocasionando lesões, porque ela "não parava quieta".
Em vista das provas produzidas, o professor foi condenado a 5 meses e 19 dias de detenção, em regime inicial aberto.
Na decisão de primeiro grau, o juiz de direito destacou que "a conduta do acusado não reside tão somente nas agressões como forma corretiva, mas sim, em deixar uma criança de apenas cinco anos de idade sozinha em uma sala escura, chorando e com vômito, expondo em risco a sua saúde e, por conseguinte, caracterizando o tipo penal de maus-tratos".
O juiz de direito ainda destacou que "meios corretivos fazem parte da educação, o que não se admite é o destempero da correção disciplinar".
O demandado pode recorrer da sentença em liberdade, e o processo tramita em segredo de justiça para preservar a identidade da criança vítima.
(Com informações do Ministério Público do Estado de Santa Catarina - MPSC)
Juristas
Juristashttp://juristas.com.br
O Portal Juristas nasceu com o objetivo de integrar uma comunidade jurídica onde os internautas possam compartilhar suas informações, ideias e delegar cada vez mais seu aprendizado em nosso Portal.

Deixe um comentário

Compartilhe

Inscreva-se

Últimas

Recentes
Veja Mais

Mantida condenação ao Serasa por negativação de CPF sem comunicação devida

A Segunda Turma Recursal de João Pessoa manteve uma decisão que condenou a Serasa ao pagamento de indenização por danos morais, no valor de R$ 3 mil, devido à falta de notificação adequada sobre a inscrição do nome de um consumidor em cadastro restritivo de crédito. O entendimento é de que a notificação deve ser enviada por correspondência ao endereço do consumidor, sendo vedada a notificação exclusiva por e-mail ou mensagem de texto de celular (SMS).

Bradesco é condenado a restituir cliente vítima do "golpe do falso boleto"

A 1ª Turma Recursal dos Juizados Especiais do Distrito Federal, por unanimidade, decidiu manter a decisão que condenou o Banco Bradesco S/A a restituir um homem que foi vítima do "golpe do falso boleto". A instituição financeira deverá desembolsar a quantia de R$ 12.274,76, conforme determinado pelo processo de número 0701998-69.2023.8.07.0006.

Homologado Plano de Recuperação Judicial do Grupo Americanas pela 4ª Vara Empresarial do TJRJ

Na segunda-feira, dia 26 de fevereiro, o juiz Paulo Assed Estefan, titular da 4ª Vara Empresarial da Capital do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJRJ), homologou o Plano de Recuperação Judicial do Grupo Americanas. A homologação ocorreu exatamente um ano e seis dias após o deferimento do processamento de recuperação judicial do grupo pelo mesmo magistrado.

Supremo suspende julgamento de recursos relacionados à nulidade de provas em acordo de leniência da Odebrecht

A Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) tomou uma decisão importante durante a sessão desta terça-feira (27), ao suspender o julgamento de três recursos referentes à anulação de provas obtidas dos sistemas Drousys e My Web Day B, utilizadas no acordo de leniência entre o Ministério Público Federal (MPF) e a Odebrecht, atualmente denominada Novonor, no contexto da Operação Lava Jato.