Redes sociais para advogados: como utilizar e ter resultados

Redes Sociais para Advogados
Créditos: Tracy Le Blanc / Pexels

Em qualquer estratégia de marketing jurídico marcar presença nas redes é algo obrigatório. Isso porque usar as redes sociais para advogados é uma ótima maneira de se relacionar diretamente com potenciais clientes. Além disso, esses canais podem alavancar o tráfego orgânico para o seu site e, consequentemente, aumentam  o potencial de prospecção e a visibilidade do seu escritório de advocacia.

Embora as redes sociais sejam ótimas para promover um escritório de advocacia, a maioria dos advogados utiliza tais canais sem qualquer estratégia de marketing. Além de não observar as diretrizes do Código de Ética, alguns profissionais acabam elegendo redes menos efetivas considerando o perfil e as dores da sua clientela. Para ter resultados é essencial escolher as redes certas, além de claro, produzir conteúdo adequado e relevante. No post de hoje, vamos tratar mais sobre as redes para advogados e como utilizá-las de forma planejada para ter mais benefícios. Para saber mais, não deixe de conferir!

Qual a importância das redes sociais para advogados?

Em um mercado tão competitivo como é o jurídico, é essencial se manter em evidência. As redes sociais para advogados deixaram de ser uma exceção para se tornar uma regra, afinal, a maioria dos clientes está rolando os dedos na timeline de alguma delas. Assim, estar presente nesses canais é fundamental para advogados que querem ser encontrados, lembrados e querem se conectar com a própria clientela. 

Segundo relatório produzido em abril de 2021 pela We Are Social e Hootsuite, estima-se que a população mundial seja de 7,85 bilhões de pessoas. Neste mesmo relatório, também estimou-se que 4,72 bilhões de pessoas utilizam a Internet, sendo que 4,33 bilhões são usuários de mídias sociais. Isto nos indica que mais da metade de toda a população mundial que está conectada à Internet utiliza as redes sociais ativamente. Neste cenário, naturalmente, faz todo sentido que o advogado esteja utilizando esses canais.

Porém, estar nas redes sociais não significa estar em qualquer rede, ou mesmo, em todas elas. É preciso escolher os canais que estejam mais afinados com o seu público. Além disso, é essencial que o conteúdo seja adequado e postado com grande frequência, afinal, os algoritmos das redes não facilitam a visibilidade. 

Quem já experimentou esses canais para promover seu escritório sabe que é fundamental publicar um bom volume de conteúdo com foco em chamar a atenção mesmo de quem está distraído. Esse conteúdo, no entanto, precisa ser estrategicamente criado, já que o Código de Ética possui algumas diretrizes para a divulgação de escritórios e serviços jurídicos. 

Quais as melhores redes sociais para advogados?

Como qualquer advogado, você deve estar habituado a responder perguntas objetivas com “depende”, não é mesmo? E, para a pergunta “qual a melhor rede social para advogados”, a resposta também é a mesma, ou seja, depende.

Cada rede social possui características e públicos distintos. Assim é de suma importância o conhecimento das diferenças entre as mídias sociais para melhor aplicá-las na estratégia de marketing jurídico do seu escritório. 

1 – Facebook

O Facebook é, possivelmente, a rede social mais popular. Isto porque é a rede social favorita de 21,8% das pessoas que acessam redes sociais, de acordo com o relatório da We Are Social com a Hootsuite mencionado. Sendo assim, a chance de que seu novo cliente em potencial esteja no Facebook é alta, o que torna essa plataforma excelente para divulgar seu negócio, além de ser uma ótima ferramenta de prospecção de clientes.

Para quem está começando em uma estratégia de marketing digital, apostar no Facebook ainda é a melhor ação. Afinal, por ter um grande número de usuários, essa plataforma permite que o advogado conheça melhor o seu público e ajuste sua estratégia de forma mais planejada.

2. Twitter

Para quem gosta de textos curtos e diretos, o Twitter é um prato cheio. Com o limite de 280 caracteres por post, esta rede social é uma plataforma muito boa para atualizações em tempo real e breve comentários. Por ser uma rede social conhecida por veicular novidades e questões polêmicas, ela também é uma ótima ferramenta para gerar engajamento, comprovada quando se trata do relacionamento entre consumidores e marcas.

Uma boa ideia para o advogado é utilizar o Twitter como ferramenta para postar breves atualizações ou comentários sobre assuntos do momento que sejam pertinentes no âmbito jurídico.

3. Instagram

A terceira rede social favorita das pessoas entre 16 e 64 anos, o Instagram passou por muitas mudanças durante a última década. Essa rede surgiu com o objetivo de veicular somente posts com fotos e vídeos, mas ganhou diversas novas funções ao longo do tempo, como os Insta Stories, Reels e IGTV.

O Instagram é uma rede social bastante dinâmica, que conta com diversas funcionalidades diferentes e pode ser abordada de diversos aspectos, gerando um excelente engajamento.

O importante é saber como construir seu conteúdo, que pode ser através de posts informativos em imagem, informações rápidas pelos Insta Stories, vídeos mais profundos pelo IG TV ou até mesmo com reações rápidas e dinâmicas pelos Reels. O uso de vídeos, no entanto, deve ser feito com certa cautela. Como já se observou no caso envolvendo o uso do Tik Tok na advocacia é preciso agir com discrição conforme dispõe o Código de Ética. 

4. Youtube

O Youtube é um velho conhecido do público, já que é a rede social mais antiga das já citadas por aqui. Fundada em 2005, a plataforma conta com diversos vídeos informativos e educativos em seus arquivos, sendo excelente para advogados que querem difundir um conteúdo mais educacional, mas também que gera bom engajamento. Em um universo repleto de tanta informação, os vídeos são uma forma de difundir conteúdos densos com mais rapidez e, por serem pessoais muitas vezes, acabam promovendo maior identificação.

A única desvantagem do Youtube, assim como a maioria das redes, é o seu algoritmo. Assim, para ampliar seu potencial, o ideal é publicar posts escritos em seu blog que levem ao conteúdo em vídeo e vice-versa.

5. LinkedIn

Ele era uma rede social que parecia esquecida, porém quando o LinkedIn foi adquirido pela Microsoft em 2016, ele acabou ganhando uma enorme relevância. Quando comparado com o algoritmo das demais redes, o LinkedIn é considerado um dos mais favoráveis em termos de visibilidade. Além disso, ele é a rede social ideal para quem trabalha com o público corporativo e empresas.

Para conquistar clientes através do LinkedIn não basta apenas postar. É fundamental movimentar o networking e trocar experiências, participando das publicações e interagindo com potenciais clientes. O conteúdo nessa rede também precisa ter um tom de voz adequado, mais formal e opinativo.

Outras redes sociais para advogados

Mais e mais redes sociais surgem a todo momento. Recentemente o Tik Tok e o Club House ganharam espaço na advocacia, mas também geraram polêmicas. 

Ao escolher a rede social ideal para a estratégia de marketing jurídico do seu escritório, mais do que se focar na ferramenta, é fundamental escolher aquela que se alinha mais com o seu público. Além disso, é preciso criar uma estratégia de conteúdo adequada, com foco na jornada do cliente. 

Como melhor utilizar as redes sociais para advogados?

As redes sociais para advogados são ótimas para melhorar o relacionamento com potenciais clientes e clientes, além da visibilidade do seu escritório. Para utilizar as redes com foco em resultados, é fundamental conhecer o seu público, suas dores e quais dúvidas eles apresentam sobre temas jurídicos os quais seu escritório atua. 

Essa pesquisa é fundamental tanto para escolher a rede social mais adequada, como também estruturar um planejamento de conteúdo. Muitos advogados acreditam que marcar presença em diversas redes sociais é a melhor estratégia. No entanto, isso é uma visão bastante equivocada. As redes demandam um grande volume de postagens, pois são efêmeras. Logo, quem decide alimentar diferentes canais pode acabar perdendo o foco do seu negócio, especialmente se você é um advogado autônomo e também cuida do marketing jurídico do seu escritório. 

Para ter resultados com as redes sociais, é fundamental enxergá-las como uma ferramenta de indução de tráfego. Em outras palavras, seu objetivo deve ser criar conteúdos que fisgam potenciais clientes para que eles entrem em contato com você no seu site. 

Com relação ao conteúdo, tudo que for publicado em redes sociais terá um impacto em sua imagem profissional. Por isso, é fundamental que o bom profissional tenha um zelo pelo seu perfil profissional, bem como, pelas informações que veicula. Misturar postagens pessoais com conteúdo profissional não costuma ser uma boa ideia. Por isso, tenha cuidado na forma como você se expõe. 

Por fim, o Código de Ética da OAB e o Provimento Nº 94/2000 trazem uma série de diretrizes para a divulgação de serviços jurídicos. É essencial manter o caráter informativo em suas publicações e postagens, evitando quaisquer termos ou conteúdo que vise a promoção mercantil desses serviços. 

Pensando em usar as redes sociais para advogados e divulgar sua marca pessoal? Confira dicas para construir sua marca pessoal na advocacia. 

*Artigo escrito em coautoria com Helga Lutzoff Bevilacqua

6 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA